24/04/2011

Buraquinhos e buraquinhos...

Acalmem-se! Os "causos" a seguir são apenas mais algumas historiazinhas bizarras sobre os buracos que desnecessariamente são preenchidos em nossas vidas. Hahaha. Vamos lá...

João-e-o-nariz-de-feijão Havia um menininho em Três corações, Minas Gerais, que começou a se queixar de muita dor no nariz, e esse estava exalando um mau-cheiro misterioso. A mãe levou-o no médico, que descobriu que o pequeno havia colocado um feijãozinho em uma das narinas, e esse estava começando a brotar e já haviam aparecido até mesmo pequenas folhinhas; como quando o plantamos em um algodão, quando crianças. Mais eficaz que o algodão.

Zumbe Que Eu Te escuto! O segundo caso passou-se em Taubaté, interior de São Paulo, cidade onde eu nasci; com um vizinho meu. A própria mãe do rapaz contou para a minha avó na época.
O menino, com 14 anos de idade, foi a um parque de diversões e, assim que chegou em casa, uma dorzinha de ouvido que havia aparecido no parque começou a piorar. A dor piorou de uma maneira que ele gritava a medida que a mãe colocava remédio.
No mesmo dia foram ao pronto socorro e descobriram que havia entrado um enorme bicho voador no seu ouvido, provavelmente, enquanto estavam em algum brinquedo alto.

A Lagoa Azul O terceiro ocorreu com o meu tio mais velho. Esse causo é curto mas a situação é, sem dúvidas, ridiculamente constrangedora. Construam a cena...
Ele, durante a adolescência foi fazer um exame de ouvido e, minha avó do lado, estranhou quando o médico começou a se surpreender e questionar: "Nossa, mas o que é essa massa azul?", e com certeza o constrangimento foi maior ainda quando ele mesmo confessou que cutucava o ouvido com caneta esferográfica quando não tinha o que fazer. Adolescentes e seus orifícios insaciáveis!...

Nenhum comentário: