21/09/2011

Maternidades Incomuns

Reuni nessa postagens três casos de maternidades e causos incomuns que ocorreram durante partos. Porque dar a vida também inclui medo, risos, aflição e muita (muita mesmo!) história pra contar!

Obstetra Carniceiro
Contextualizem: década de 70, apenas uma maternidade na lendária Taubaté, estando a mesma em precárias condições. Após uma gravidez tranquila enfim havia chegado o tão esperado dia de uma de minhas tias-avós gêmeas, Martha Paixão, dar à luz a menina Paula. A família toda, irmãos, pais e marido, esperavam do lado de fora da sala de parto. Para a surpresa de todos, um funcionário do hospital passou com um serrote nas mãos entrando assim na sala em que Martha estava. Após um bom tempo de apreensão, foi explicado à família que a mesa de madeira onde ela estava dando à luz havia quebrado uma das pernas. E você aí com medo do dentista hein?

Papo de Elevador
Esse "causo" eu não chamaria nem mesmo de 'das antigas'. Aconteceu no nascimento de minha priminha Maitê, que tem hoje 11 anos e, apesar de não ter presenciado a cena, lembro-me bem dos risos provocados na família toda naquele mesmo dia. Meus avós foram visitar a filha Marianne que havia acabado de dar à luz, e meu avô Fausto, ao entrar no elevador, encontrou um conhecido. Elevador lotado, aquele clima de "será que vai chover?", quando o conhecido pergunta:
- E aí Fausto, tá aqui no hospital, tá com alguém doente na família?
- Não, não. - explica meu avô - Viemos visitar minha netinha na maternidade. É a cara do avô!
E após uma breve pausa o conhecido brincalhão aproveitou a oportunidade e completou:
- Não tem problema, tendo saúde ta bom!
E aquele clima de constrangimento logo foi quebrado por inúmeras risadas, inclusive as de meu avô.

Bercinho Maldito
O terceiro "causo" é um relato breve da aflição que minha avó Myrian passou durante o tempo que esteve no hospital após o parto de minha mãe. No período da tarde, uma movimentação nos corredores começou a deixar minha avó aflita. Ela escutava uma voz de mulher dizendo algo como "Estão matando o meu bebê!!!", mas não podia sair da cama para ver o que realmente estava ocorrendo. Mais tarde, naquele mesmo dia, ela teve a informação de que um dos bebês da maternidade havia escorregado no bercinho de uma maneira que sua cabeça havia ficado presa entre dois pedaços de madeira da grade. Ficou tão bem encaixada que tiveram que serrar uma das grades do tal bercinho. Causo comum para quem lê e clássico para quem presenciou.

2 comentários:

✿ chica disse...

Causos nos encantam sempre e esses , tantas vezes ouvimos falar...Legal! beijos,chica

Angelo Augusto Paula do Nascimento disse...

kkkkkk Adorei um a um. Li e reli! Toda família é uma figura!!!
bjs