26/05/2012

O Conto do Vigário

A história a seguir chega a ser tão previsível que é possível imaginar que isso jamais aconteceria, tamanha besteira. Para quem não sabe, nos "trejeitos linguísticos" de nossas vovós (como gosto de chamar), "cair no conto do Vigário" é ser enganado. Tal gíria idosa surgiu por conta do truque que especialistas em trambiques usavam, dizendo-se vigários (padres) para terem maior credibilidade com o enganado.

Pois bem, tal história ocorreu com o italianíssimo "falastrão" tio César, e chega a ser mais engraçada ainda se considerarmos que tal figura tinha fama de ser "o espertalhão da família". O causo chegou a sair até mesmo num jornal local da época, em uma coluna denominada "contos do vigário". Minha avó Myrian, fonte de tal relato, lembra-se do causo com detalhes apesar de seus insignificantes 6 anos de idade.

Tio César havia acabado de vender seu carro para um vigário de sua cidade, mas o tal padre afirmava que teriam que buscar o dinheiro do pagamento numa cidade vizinha. No dia combinado, tio César levantou cedo, e animado foi buscar o padre. Foram no caminho conversando sobre o "bom negócio" que tinham feito.

Não se sabe ao certo como foi, tampouco importa, o fato é que o esperto tio César chegou em casa horas depois, exausto e a pé; sendo recebido debaixo de risos dos familiares por ter sido enganado pelo falso-vigário.
Consta no jornal da época a seguinte nota: "levou o conto do vigário do próprio vigário".

Nenhum comentário: